Portefólio de psicologia 12ºano

09
Mar 08

A vinculação não se estabelece sobre laços de satisfação de necessidades fisiológicas, mas de necessidades emocionais ou afectivas, cuja satisfação acarreta experiências gratificantes, como ser abraçado, receber carícias, estar ao colo, etc.

As vivências precoces são fundamentais para a formação da estrutura do aparelho psíquico da criança. Relativamente a este aspecto, Bion evidenciou a importância da relação continente/conteúdo.

Inicialmente, a mãe funciona como continente, onde a criança vai estruturando os primeiros conteúdos, que são uma espécie de representações do mundo que a ela interioriza como benéficas ou ameaçadoras.

A confiança que a criança deposita na mãe como continente e protectora, cria condições para que o ego infantil desenvolva uma relação optimista com o mundo. O modo como a mãe continente elabora esses conteúdos e os vai transmitindo à criança em desenvolvimento, é fundamental para o seu equilíbrio emocional.

Uma mãe continente reage às necessidades do bebé dando acolhimento à angústia e à ansiedade sentida pelo bebé sem as devolver através de comportamentos ou atitudes ansiosas e angustiadas. A boa mãe comunica eficazmente, reagindo às necessidades do bebé transformando inquietação em segurança, desconforto em bem-estar, tornando tolerável a sua angústia, fazendo-o sentir-se amado e compreendido. A identificação do bebé com essa mãe continente estrutura uma relação de harmonia essencial para o equilíbrio psicológico presente e futuro.

Um relacionamento deficiente da criança com a mãe, transmissora das primeiras noções e impressões, compromete a sua evolução psico-afectiva.

 

Bowlby desenvolveu um conjunto de investigações para procurar esclarecer a importância das relações precoces da criança com os seus progenitores: Estabeleceu comparações entre os sorrisos, as vocalizações e o choro do bebés humanos com as estratégias de outros mamíferos para conseguirem assegurar os cuidados maternos. Constata que, em Londres, a separação dos pais no final da Segunda Guerra Mundial, tinha tido efeitos bastante negativos no desenvolvimento físico e psicológico das crianças. Através de entrevistas e resultados de testes que realizou em contexto social a jovens e a famílias e a partir das concepções de Darwin e dos trabalhos de Lorenz, defende que a vinculação aos progenitores responde a duas necessidades: protecção e socialização.

publicado por psicologiaxxi às 22:16

Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


arquivos
2008

2007

Música
PsicologiaXXI
Relógio: