Portefólio de psicologia 12ºano

05
Dez 07

Resumo:

 
No Limite do Silêncio
O psicólogo Michael Hunter (Andy Garcia) é um pai de família atormentado pelo suicídio do filho mais novo. Por causa da tragédia, Hunter abandonou o consultório e deixou de atender seus pacientes. Mas, quando uma ex-aluna (Teri Polo) lhe pede uma opinião sobre o problemático Tommy (Vincent Kartheiser), o dr. Hunter vê no caso do rapaz sua chance de redenção. O trauma de Tommy foi presenciar o pai assassinar sua mãe. Ao completar 18 anos, o jovem deverá deixar o centro de reabilitação no qual vive e readaptar-se ao mundo. À medida que o dr. Hunter e Tommy se aproximam, as barreiras entre médico e paciente ficam cada vez mais confusas e Hunter parece descobrir segredos sobre a morte de seu filho que até então estavam velados. Para piorar o clima, o psicólogo descobre que sua filha adolescente (Linda Cardellini) está se encontrando secretamente com Tommy só para contrariá-lo.

 

 

Enquadramento na matéria estudada:

 

Ao longo do filme, a matéria relativa a Freud aparece retratada.

Logo nos momentos iniciais, aparece o psicanalista Michael Hunter sentado em frente a uma das suas alunas uiversitárias e faz com ela uma associação livre de ideias. Michael fica surpreendido quando a aluna associa a palavra "Pai" a "fato", pois esta associação mostrava que o pai da aula era, provavelmente, um pai ausente  Depois, mas adiante no enredo do filme, são visíveis os recalcamentos que Tommy guarda dentro de si em relação ao seu passado e até a sua amnésia em relação ao que se passou entre os seus pais.

 

Explicitação do dialogo do Michael com a aluna na Universidade

 
Michael faz com a aluna uma associação livre de ideias. Como já estudamos, trata-se de uma converça, em que o psicanalista vai dizendo palavras, e anota as variações que as respostas têm. Se nota que alguma resposta vai para além do considerado "normal", insiste no assunto em questão até conseguir tirar uma conclusão. Como já esplicado anteriormente a aluna associou "pai" a "fato", levando o analista a pensar que, provavelmente, o pai da aluna seria um pai ausente.
Foca-se ainda "naquilo que não é dito", como é o caso da respiração, da direcção do olhar, nas expressões faciais, etc.
 

Relacionar o comportamento do Tommy na Rave com o seu comportamento na casa da filha de Michael (explicá-lo à luz da psicanálise).


Tommy, na Rave Party, conhece uma jovem, mais ou menos da sua idade. Começam por se conhecer, e num momento mais íntimo, já afastados da confusão da festa, a rapariga tenta tocar em Tommy mas este responde a esta tentativa com grande violencia. Depois de a ter agredido, afasta-se do local. Mais tarde, na casa de Michael, Tommy, na companhia da filha do psicanalista, assiste pela televisão à notícia de que a rapariga que ele tinh agredido na festa tinha sido encontrada morta. Tommy, apesar do sentimento de culpa, fica sem saber se a morte da jovem é da sua responsabilidade ou não, mas tudo o leva a acreditar que sim.
Tommy, devido a algo, que na altura ainda permanecia na incerteza, que tinha recalcado no seu subconsciente, sentia uma repulsão em relação ao contacto físico, que se revela ao longo de todo o filme com os seus actos de violencia.
 

Explicar a confusão do Michael na cozinha do lar e o comportamento de Tommy.

 
Na cozinha, depois de ter uma converça com o pai de Tommy, Michael confronta o seu analisado com os factos que tinha descoberto em relação ao seu passado. Negando-se a acreditar no que ouvia (que a sua mãe traira o pai com outro homem), Tommy chega ao ponto de ameaçar o psicanalista com uma faca. Ao ver o desespero que Tommy apresentava, Michael, depois de o acalmar, começa a ver nele o filho que perdeu hà alguns anos, Kyle. Estamos perante um processo de transferencia.

Explicar os sonhos de Michael e de Tommy.

 Michael sonha que, ao contrário do que acontece no princípio do filme, Kyle, o seu filho, não chega a levar o seu suicidio a cabo. Já no caso de Tommy, este sonha que, num acto de loucura, empurra a filha de Michael para a linha de um comboio quando esta o tenta beijar, e esta é aropelada.
Em ambos os casos, estas situações mostram desejos recalcados no inconsciente que procuram tornar-se conscientes: no caso de Michael, este gostaria que o seu filho ainda estivesse com ele; Já Tommy, ao sonhar com a morte da filha de Michael, demonstra que o afecto que a filha de Michael nutre por ele não pode ser recebido, uma vez que este ainda não se encontra preparado para tal. Não deseja a sua morte, mas sim a sua morte simbólica; tudo aquilo que a sa morte representa.
publicado por psicologiaxxi às 19:41

Dezembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


arquivos
2008

2007

Música
PsicologiaXXI
Relógio: