Portefólio de psicologia 12ºano

05
Dez 07
Dados biográficos

Jean Piaget (Neuchâtel, 9 de Agosto de 1896Genebra, 16 de Setembro de 1980) estudou inicialmente biologia, na Suíça, e posteriormente dedicou-se à área de Psicologia, Epistemologia e Educação, professor de psicologia na Universidade de Genebra de 1929 a 1954, conhecido principalmente por organizar o desenvolvimento cognitivo numa série de estágios.
Jean Piaget demonstrou interesse por História Natural ainda na infância, tendo aos onze anos publicado seu primeiro artigo, sobre um pardal albino, que é considerado o início de sua carreira como cientista. Durante a adolescência, trabalhou como voluntário na secção de moluscos do museu de História Natural, escrevendo artigos sobre o tema. Piaget frequentou a Universidade de Neuchâtel, onde estudou Biologia e Filosofia. Formou-se em Ciências Naturais com 21 anos e, um ano depois, doutorou-se em Zoologia. Em Zurique, passou a interessar-se e a estudar psicologia e psiquiatria. Depois de formar-se foi para Zurich, onde trabalhou como psicólogo experimental e frequentou aulas ministradas por Carl Jung, além de trabalhar em psiquiatria. Em 1919 foi para Paris, onde desenvolveu trabalhos no Laboratório de Alfred Binet, investigando o desenvolvimento intelectual da criança a partir de testes elaborados pelo investigador francês. É este traballho que o irá motivar a desenvolver as suas pesquisas na área da psicologia do desenvolvimento. Em 1921, retorna para a Suíça e assume as funções de director de estudos no Instituto Jean-Jacques Rousseau da Universidade de Genebra, onde iniciou sua carreira, ao registar suas observações de crianças a brincar, que deram o fundamento para a construção de sua teoria. Piaget casou-se em 1923 com Valentine Châtenay e tiveram três filhas: Jacqueline (1925), Lucienne (1927) e Laurent (1931). Uma parte da teoria piagetiana teve por base as observações de Piaget e da esposa a respeito do desenvolvimento cognitivo de seus filhos durante a primeira infância.
Aos 27 anos, escreveu o seu primeiro livro de psicologia: A Linguagem e o Pensamento na Criança. Em 1925, ocupou o cargo de professor de Filosofia na sua cidade natal. Na década de 50, fundou, congregando investigadores de vários ramos do saber, o "Centro Internacional de Epistemologia Genética" da Faculdade de Ciências da Universidade de Genebra, de onde saíram importantes obras de psicologia cognitiva. Leccionou a disciplina de Psicologia da Criança, a partir de 1952, na Sorbone, Paris.
Piaget revolucionou as concepções de inteligência e de desenvolvimento cognitivo partindo de pesquisas baseadas na observação e em entrevistas que realizou com crianças. Interessou-se fundamentalmente pelas relações que se estabelecem entre o sujeito que conhece e o mundo que tenta conhecer. Considerou-se um epistemólogo genético porque investigou a natureza e a génese do conhecimento nos seus processos e estágios de desenvolvimento.
 
 
O desenvolvimento cognitivo
 
            Na década de 20, a psicologia está dominada por duas correntes: o gestaltismo, que defende que o cérebro contém estruturas inatas que determinam o modo como o sujeito organiza o mundo e as aprendizagens (o conhecimento é inato); e o behaviorismo, que considera o sujeito como determinado pelos condicionalismos do meio (os conhecimentos são adquiridos por estímulos do ambiente).
            Piaget vai afastar-se das posições extremadas das duas correntes, propondo um novo modelo explicativo: o sujeito constrói os seus conhecimentos pelas suas próprias acções. A inteligência é, assim, produto de um processo de adaptação, no qual interagem as estruturas mentais e a influência do mundo exterior: as estruturas da inteligência são produto de uma construção contínua do sujeito em interacção com o meio.          
  
 
Conceitos-chave da teoria de Piaget
 
            Segundo a teoria de Piaget, a inteligência constrói-se ao longo do tempo, por estágios. Partindo dos reflexos simples do bebé, herdados geneticamente, a criança vai criando progressivamente estruturas mentais até atingir o pensamento formal.
            A teoria piagetiana assenta sobre sete conceitos-chave: assimilação, acomodação, equilibração, adaptação, estádios, esquema e estruturas cognitivas.
           
            Assimilação: Processo através do qual o sujeito integra os dados, as informações que provêm do ambiente, nas suas estruturas cognitivas existentes.
Acomodação: Processo através do qual as estruturas cognitivas do sujeito sofrem modificações resultantes da integração dos dados novos que provêm do meio.
Equilibração: Processo de auto-regulação entre os processos de assimilação e acomodação que permite a adaptação do indivíduo ao meio, permitindo uma progressão no sentido de um pensamento cada vez mais complexo.
Compensação activa entre as novas aquisições e as anteriores.
Adaptação: Processo interno de equilíbrio entre o indivíduo e o meio através de dois processos/mecanismos: assimilação e acomodação.
Estádios: Etapas de desenvolvimento que se distinguem qualitativamente das fases anteriores e posteriores.
Esquema: Estrutura mental subjacente aos comportamentos que organiza a interacção do sujeito com o meio.
Espécie de acção mental que tanto pode ser simples, como pegar num brinquedo, ou complexa, como resolver um problema de matemática.
Estruturas cognitivas: Formas de organização mental que dotam o sujeito de determinadas capacidades intelectuais.
 
 
Estádios de desenvolvimento
 
            Para Piaget, o desenvolvimento intelectual processa-se em quatro estádios sucessivos, que são: estádio sensoriomotor, estádio pré-operatório, estádio das operações concretas e estádio das operações formais.
 
            Estádio sensoriomotor:
  • Desenvolvimento das capacidades perceptivas e motoras.
  • Coordenação das respostas.
  •  Noção de permanência do objecto.
  •  Inteligência prática que se aplica à resolução de problemas concretos.
  • A adaptação ao meio faz-se através de esquemas sensoriomotores.
  • Início da função simbólica.
 
Estádio Pré-operatório:
 
  • Desenvolvimento da função simbólica.
  • Desenvolvimento do pensamento e da linguagem.
  • Pensamento irreversível.
  •  Egocentrismo.
  • Pensamento intuitivo baseado em regras mas muito influenciado pelos dados da percepção.
 
Estádio das operações concretas:
 
  • Desenvolvimento da reversibilidade e da descentração.
  • Desenvolvimento do pensamento lógico recorrendo a objectos concretos - não é ainda um pensamento abstracto.
  • Domínio das noções de conservação de matéria, peso e volume.
  • Capacidade de fazer seriações e classificações.
Estádio das operações abstractas:
  • Desenvolvimento do pensamento lógico, formal, abstracto.
  • Realizam-se operações sobre ideias.
  • Egocentrismo intelectual – crença no poder ilimitado da reflexão.
  • Pensamento hipotético-dedutivo.
  • Capacidade de abstracção.
  • Deduz e induz de modo sistemático organizado.
 
Metodologia de investigação
           
            Piaget reflectiu e desenvolveu estudos sobre os próprios processos metodológicos, que se centraram sobretudo na aplicação do método clínico e na observação naturalista.
            O facto de ter feito parte da Sociedade Suiça de Psicanálise e de ter assumido o papel de psicanalista, ter-lhe-á dado uma especial sensibilidade para o desenvolvimento do método clínico, designadamente da entrevista clínica. Entrevistava crianças sobre o que pensavam, assumindo uma atitude de abertura: as respostas das crianças guiam o próprio diálogo.
            A sua experiência de biólogo orientou-o na observação naturalista dos seus filhos, dos filhos dos seus amigos, de crianças em várias situações do dia-a-dia, na escola, etc. Muitas das suas obras constituem uma ilustração dos seus métodos – observação, entrevista clínica - , que visavam seguir o processo de conhecer e pensar das crianças.
 
Conclusão
 
Ainda que alguns investigadores recentes ponham em causa alguns aspectos da teoria dos estádios desenvolvida por Piaget, a sua contribuição para a compreensão do desenvolvimento intelectual do ser humano é incontornável. Enquanto Freud descreveu as etapas afectivas do desenvolvimento, Piaget enunciou as etapas cognitivas formulando, assim, a primeira grande teoria do desenvolvimento da inteligência. As suas concepções revolucionaram literalmente as teorias sobre o desenvolvimento humano, sendo o percursor do cognitivismo. Os efeitos das suas concepções ultrapassam o âmbito da psicologia, influenciando decisivamente a pedagogia e a educação.
É também fundador de uma nova área do saber, a epistemologia genética, cujo objectivo passa pela compreensão da natureza e da origem do conhecimento. A sua formação – ele foi biólogo, filósofo, epistemólogo e psicólogo – abriu-lhe caminho para outras áreas como a sociologia, a cibernética, a lógica, que ele articulou numa visão interdisciplinar do ser humano e do mundo.
A sua obra marca uma ruptura não só com a maneira como a criança era encarada: abre uma nova perspectiva sobre o conhecimento e o pensamento humanos. A sua concepção construtivista e interaccionista, que perspectiva o ser humano como resultado de factores genéticos e ambientais, superou as perspectivas inatistas e comportamentalistas vigentes.

Clic no link para ver o filme: Jean Piaget


 
 
Texto de produção própria, mas baseado no livro "Ser Humano", Manual de Psicologia B do 12º ano da Porto Editora e biografia retirada da Wikipédia, a enciclopédia livre.
publicado por psicologiaxxi às 22:37

Dezembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


arquivos
2008

2007

Música
PsicologiaXXI
Relógio: